Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter

Que as organizações não precisam mais de “chefes” todo mundo já sabe, ou pelo menos, deveria. Os líderes se tornaram cada vez mais essenciais para o sucesso das empresas, engajando suas equipes e aumentando a produtividade e os resultados.

Mas você já ouviu falar sobre liderança inclusiva? O tema tem estado em pauta em diversos setores, desde o entretenimento, com reality shows como BBB e A Fazenda, até o mundo dos negócios, pela sua relevância.

Em resumo, é uma forma de liderança que garante que todos os membros de uma organização se sintam valorizados e tenham a oportunidade de contribuir. Envolve o desenvolvimento de equipes de diferentes origens, dando às pessoas a chance de compartilhar suas opiniões e construir uma cultura inclusiva.

Quer aprofundar seus conhecimentos sobre esse tópico? Então continue a leitura.

O que é a liderança inclusiva?

Liderança inclusiva é o uso de práticas inclusivas para criar um ambiente de trabalho que promova o crescimento e o sucesso de todos os funcionários.

A liderança inclusiva ajuda a criar um espaço onde todos os funcionários, independentemente de sua raça, gênero ou orientação sexual, possam se sentir seguros e confortáveis.

O objetivo desse tipo de liderança é construir uma força de trabalho diversificada e inclusiva com as habilidades, o conhecimento e a experiência necessária para impulsionar o sucesso organizacional. Uma pesquisa publicada no Harvard Business Review aponta que equipes com líderes inclusivos são 17% mais propensas a relatar que são de alto desempenho, 20% mais propensas a dizer que tomam decisões de alta qualidade e 29% mais propensas a relatar um comportamento colaborativo.

Qual a ideia principal da liderança inclusiva?

A liderança inclusiva visa tornar o ambiente de trabalho o mais agradável possível para todos, sem tratar ninguém com desrespeito ou distinções. Todos são julgados sem preconceito, independentemente de suas circunstâncias pessoais.

É um tipo de liderança que visa reconhecer e celebrar a diversidade de seus membros. Um líder inclusivo garantirá que não esteja impondo seus próprios valores, crenças ou preferências aos outros.

Eles também garantirão que todos tenham a oportunidade de contribuir para os processos de tomada de decisão, independentemente de sua posição na hierarquia.

A ideia-chave por trás da liderança inclusiva é reconhecer que todos em um grupo têm diferentes pontos fortes e fracos, mas que a eficácia pode ser aumentada respeitando essas diferenças.

Como ser um líder mais inclusivo?

A liderança inclusiva visa fazer com que um líder considere os objetivos de todos aqueles que ele está liderando, em vez de seus próprios objetivos pessoais.

Líderes inclusivos estão comprometidos em criar ambientes onde todos se sintam seguros, incluídos e valorizados.

Veja a seguir quais são os passos para se tornar um líder mais inclusivo:

1- Para ser inclusivo, um líder precisa praticar a comunicação não violenta

A comunicação não violenta é um modelo de como se comunicar com os outros de maneira assertiva e compassiva. Foi desenvolvido por Marshall Rosenberg como uma resposta ao que ele via como as limitações das abordagens tradicionais da comunicação verbal e não verbal, que ele considerava ineficazes para resolver conflitos e criar uma compreensão profunda.

O princípio básico da CNV é que se pode enviar uma mensagem honesta sem causar danos, mesmo se tiver fortes sentimentos sobre o que está comunicando ou se o destinatário discordar da mensagem.

O principal objetivo da comunicação não violenta é criar uma conexão entre os comunicadores para poder resolver conflitos e chegar a acordos. Os princípios-chave da comunicação não violenta são: empatia, clareza e respeito.

2- Um líder inclusivo precisa ter empatia

Os líderes precisam ser capazes de entender as emoções, necessidades e desejos daqueles que ele lidera.

Isso o ajudará a entender quais mudanças precisam ser feitas para que os membros de sua equipe se sintam melhor consigo mesmos.

A empatia é uma habilidade que pode ser aprendida, praticada e desenvolvida.

3- A liderança inclusiva precisa estar aberta ao feedback da equipe

A liderança inclusiva é uma forma de liderança aberta a receber feedback e ideias dos seus colaboradores. Isso é diferente da abordagem tradicional, de cima para baixo, na qual se espera que os funcionários sigam as instruções do líder sem questionar.

Um líder deve saber que nem sempre está certo e deve estar aberto a ouvir o que os outros têm a dizer sobre o que estão fazendo ou como estão fazendo.

O feedback pode ser uma ferramenta poderosa para fazer um estilo de liderança inclusivo funcionar. Pode ajudar os líderes a entender o que precisa ser feito para que os colaboradores se sintam mais valorizados e importantes.

4- Líderes inclusivos entendem a necessidade de diversidade em sua equipe.

Os líderes não devem ser inclusivos apenas no sentido de diversidade racial, cultural e de gênero. Eles também devem ser inclusivos no sentido de diversidade de pensamento.

Isso porque é impossível tomar decisões ou agir em nome de uma equipe ou empresa sem entender as necessidades, ideias e opiniões de todos os membros.

Líderes inclusivos entendem que é mais provável que uma equipe diversificada tenha uma ampla gama de habilidades e perspectivas. Equipes diversas também são mais propensas a serem inovadoras, criativas e produtivas.

Como uma empresa pode ser mais inclusiva?

Sem dúvidas, não é possível que um líder possa ter uma gestão inclusiva se a empresa não partilhar desse tipo de cultura.

Algumas maneiras de tornar a empresa mais inclusiva são:

  • Introduzir programas de treinamento com foco em diversidade e inclusão. Conheça o Curso de Prateleira da TOT Educa sobre Diversidade, que aborda as diferenças entre as pessoas, como gênero, crença, orientação sexual, deficiência, idade e raça, que são fundamentais no ambiente profissional para reduzir a discriminação dentro das empresas e na vida pessoal;
  • Criar um ambiente onde as pessoas se sintam seguras para compartilhar seus pensamentos e opiniões;
  • Garantir que a linguagem usada nos materiais escritos não exclua ninguém de entendê-la;
  • Assegurar que o processo de contratação seja justo e não discrimine ninguém por qualquer motivo;
  • Fornecer melhor acessibilidade para pessoas com deficiência.

Neste artigo você viu que empresas que adotam a liderança inclusiva são mais propensas a ter uma força de trabalho diversificada, o que, por sua vez, é mais provável de produzir melhores resultados.

Para mais conteúdo como este, acompanhe nosso blog e redes sociais.

outros artigos

Cursos de Prateleira

COPYRIGHT © 2020. TOT EDUCAÇÃO CORPORATIVA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE