Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter

O ensino digital não é nenhuma novidade no mercado. Mas quem não tem aquele amigo ou conhecido que não acredita na eficiência do ensino mediado por tecnologia? Aqui me refiro ao ensino à distância. Aliás, esta modalidade pode trazer até um certo preconceito, que geralmente é baseado no desconhecimento ou, em experiências ruins obtidas no passado.

Mas o fato é que o conhecimento se tornou um ativo estratégico nas organizações e precisamos superar estas barreiras, devido às inumeras vantagens que o ensino digital nos proporciona. Mas como você e/ou a sua empresa podem investir em treinamento digital de qualidade? Como avaliamos isso? Como superamos estas barreiras? A resposta para esta pergunta está na interatividade.

A interatividade é a forma de comunicação estabelecida entre o comunicador e o receptor de uma mensagem. Esta comunicação pode (ou não) envolver tecnologia, estímulos visuais, sonoros, de leitura e etc, que não estão exclusivamente ligados à educação. No auge das lives, o conceito de interatividade passou a ser aplicado em contextos artísticos e musicais. As lives modificaram a forma como os artistas se comunicam e interagem com o seu público.

E você, sentiu alguma resistência a esse novo formato? Pode ter até ouvido muitas pessoas comentando por ai que não aguentavam mais as famosas lives, mas não se engane: se tem oferta, é porque tem demanda! As pessoas só irão assistir e acompanhar o que realmente interessa para elas, e essa é uma boa explicação para as críticas negativas. Então, de forma geral, a interação mediada por tecnologia neste caso das lives, foi bem aceito.

Entretanto o conceito de interatividade vai além da aplicação de tecnologias. No ensino digital à distância a tecnologia é uma premissa básica para o repasse do conhecimento. Então o que mais está dentro da interatividade? A interatividade está nos diferentes estímulos e interações na relação do aluno com o conteúdo. Se engana quem imagina que um treinamento digital tem um formato padrão e linear.

Temos evoluído constantemente a respeito das técnicas educacionais aplicadas aos cursos digitais. E devemos muito deste avanço para o papel do Design Instrucional e à expansão dessa profissão globalmente. Inclusive, este é um assunto a ser tratado em um próximo post. Mas, o ponto que quero enfatizar aqui é o ato de pensar e repensar as interações na comunicação de um conteúdo. 

A andragogia, educação de adultos, nos ensina que o conhecimento precisa fazer sentido para o adulto que aprende. E quando diferentes estímulos: visuais, sonoros, textuais, audiovisuais; são aplicados numa estrutura de conteúdo, este conhecimento passa a ser interativo. Este estímulo não somente engaja o aluno/profissional, mas também ressignifica o conhecimento, o torna interessante. E aqui refiro-me a retenção de conteúdo. Portanto, a interatividade entrega engajamento e significado.

Uma estrutura de curso que entrega um mix de diferentes interações, ativa e reativa constantemente o contato com o aluno. É quase como um “oi, você ainda está ai?”. Por isso a interatividade de um curso está diretamente ligada com o engajamento. E isso é o que realmente faz um aluno assistir um curso digital até o final.

Mas, sabemos que assistir um curso até o final, completar 100% daquele conteúdo, não representa de maneira clara o quanto daquele conteúdo foi retido, não é mesmo? Então, o que garante que o aluno realmente aprendeu algo? O quão interessante aquele conteúdo se mostrou para ele. Outra vantagem que a interatividade entrega para o ensino digital. A interatividade ajuda a dar significado ao conhecimento, e quando faz isso o torna interessante.

A interatividade está no tipo de recurso que é usado na comunicação e, como esses diversos recursos criam significado na aprendizagem. É o pacote lógico de comunicação entre o especilista do conteúdo e o aluno. Esta mediação é complexa e exige muito trabalho. Por isso, um bom curso à distância, um bom treinamento digital, entrega interatividade.

Procure por esse nível de qualidade e compare os resultados deste investimento. Profissionais satisfeitos e motivados são fruto de treinamentos interessantes e engajadores. Não somente isso, mas também recomendo que procure um LMS adequado às suas demandas de treinamento.

A plataforma digital onde você hospeda seu portfólio de cursos também deve ser interativa. E essa interatividade do LMS complementa os cursos que estão ali hospedados. Cria uma imersão do aluno e complementa a experiência do usuário. Mas, tome cuidado! Não podemos seguir a premissa de “quanto mais, melhor”. Existe uma dose equilibrada de interatividade que funciona com determinado público-alvo.

Um LMS que entregue um nível adequado de interatividade, ele é configurado de acordo com a cultura da organização. É importante que sejam criadas comunidades e redes corporativas para compartilhar a experiência de aprendizado. Afinal, um curso digital não precisa ser uma experiência solitária. Muito pelo contrário, quando compartilhada ela tem os seus resultados potencializados. Na plataforma o LMS pode gerar interação por meio de: criação de fórum de discussão, chat entre os alunos, rankeamento de notas quando aplicada metodologias de gamificação, por exemplo. Cada tipo de interação deve ser escolhido de acordo com a cultura corporativa e respeitando esses alicerces comportamentais. Um LMS interativo é um complemento imbatível ao portfólio de cursos, também interativos.

outros artigos

Cursos de Prateleira

COPYRIGHT © 2020. TOT EDUCAÇÃO CORPORATIVA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE